jornal plural do agrupamento de escolas dr. manuel laranjeira

A colaboração da família no E@D

Atravessamos tempos difíceis, em particular para as crianças e jovens pelas implicações do confinamento no seu percurso académico.

Atravessamos tempos difíceis, em particular para as crianças e jovens pelas implicações do confinamento no seu percurso académico.

O jovem aluno, em tempos de ensino à distância, lida com um horário carregado de aulas e tarefas para cumprir, que parecem não os deixar respirar. O professor desaparece do ecrã, os trabalhos para casa entram numa lista de tarefas e a estas juntam-se as outras necessidades de uma casa dinâmica cheia de vida. É a mãe que chama para abrir a porta porque está em teletrabalho, é a avó que telefona porque precisa de ajuda e sabe que o neto está em casa, é o cão que tem de ir à rua … sem esquecer a mesa por levantar e a louça por lavar depois do almoço nesta cantina do lar. Tanta coisa a acontecer, mil tarefas por fazer e o tiquetaque do relógio a entoar no pensamento!

Ansiedade? Sim. Ela existe, mas não apenas nos jovens. Também os professores veem o tempo a passar, com o mesmo tiquetaque a lembrar a exigência de um programa por cumprir.

O que é que realmente importa? Como mãe, lido com este dilema: se, por um lado, responsabilizo o meu educando para o cumprimento das regras e dos prazos, por outro, sinto a necessidade de o incentivar para que ele desligue e encontre algum tempo para se divertir, fazer uma caminhada, enfim, relaxar.

Os avanços e recuos, os sucessos e desaires no combate à Covid-19 geram grande instabilidade e angústia nas crianças e jovens, que só podem ser combatidas com atitude positiva e ações ponderadas, geradoras de credibilidade do sistema educativo e de um futuro melhor.

Torna-se essencial que pais e mães colaborem neste processo adaptado, mas que não substituam os professores. Que sejam capazes de proporcionar um ambiente mais formal, semelhante ao das aulas presenciais, mas em casa. É fundamental valorizar a relação entre o educando e os seus professores e incentivar a socialização entre pares para o desenvolvimento individual de cada um.

No meio deste turbilhão de mudanças, notícias e informação, deseja-se alguma acalmia.

E há que relevar o visível esforço de todos aqueles que têm dado o seu melhor para superarmos as adversidades da atualidade educativa, permitindo que os desafios sejam bem-sucedidos.

Obrigada, professores, escola e comunidade educativa! Bem hajam!

Susana Belo, representante dos EE dos alunos do 9ºD

podes gostar também
Deixa um comentário