jornal plural do agrupamento de escolas dr. manuel laranjeira

Estamos na época das castanhas e dos magustos!

A Físico-Química e a Cozinha

Na época das Castanhas

     O dia 11 de novembro, dia de S. Martinho, é, geralmente, festejado em todo o país com as primeiras castanhas do ano e com vinho novo.
As castanhas são deliciosas, assadas ou cozidas, mas antes de serem cozinhadas têm de ser cortadas ou retalhadas.

Porque será?

     Claro que é para não rebentarem.

Mas por que é que as castanhas rebentam ao serem cozinhadas?

     As castanhas contêm bastante água na sua composição. Cerca de metade do peso de uma castanha corresponde a água. Assim, quando são aquecidas, essa água passa ao estado de vapor. A pressão do vapor vai aumentando e exercendo uma pressão sobre a casca, que a vai “empurrando” e, se esta não tiver levado um golpe para deixar escapar esse vapor, a castanha pode explodir e fica desfeita em vários pedaços.

E de onde vem o cheiro das castanhas assadas?

     As castanhas são um fruto rico em  hidratos de carbono como o amido e a  sacarose. Nas castanhas assadas, o aquecimento acelera as reações químicas entre aminoácidos e açúcares, originando a cor amarela dourada e o sabor delicioso. O calor provoca também a formação e libertação de compostos voláteis de odor característico. E inconfundível!

     É surpreendente como muitos dos fenómenos físicos e químicos que estudamos em Laboratório se aplicam, afinal, à Cozinha!

Receita de Castanhas assadas no forno

Preaqueça o forno a 200º C.

Com uma faca dê um golpe nas cascas das castanhas e deixe-as de molho em água, durante 10 minutos.

Num tabuleiro de forno disponha as castanhas numa só camada, salpicando-as com 1 colher de sopa de sal grosso.

Leve as castanhas ao forno, durante 30 minutos ou até as cascas abrirem.

Ana Maria Tavares, professora de Físico-Química

podes gostar também
Deixa um comentário